sábado, 1 de novembro de 2008

da simples arte de mudar

Estava a ralar o gengibre quando um desafio me rasgou a pele. Cravou-se e gritou: "o que mudaria na minha rotina diária". Vinha com remetente e instruções subliminares: "olha, mandei-te um desafio... um d e s a f i o, percebes? é para continuar, 'tás a ver...?".
Diz quem entende destas coisas, que um blogue deve estar sempre em movimento e que "blogue parado é blogue estragado". Tem qualquer coisa a ver com a prevenção de doença coronária.
Juntei os dois. Peguei no desafio, sacudi-lhe o pó da viagem, sentei-o ao balcão da cozinha e servi-lhe uma caipirinha para ganhar tempo... Enquanto esmagava as limas, enumerei:

- mudava a cor do asfalto: fazia-o reflectir o céu;


- trocava o tempo em que faço coisas que me aborrecem, por horas e horas a encher de palavras as folhas dos dias vazios;

- definitivamente, mudava o primeiro-ministro. À falta de opções nacionais, importava o espanhol, com todo o seu governo;

- na sequência do anterior, exportava a líder da suposta oposição (estou convencida de que é paga pelo próprio PM para emitir aquele discurso) para o Alasca. Punha-a numa caixinha, atava-lhe um laço, e enviava-a ao cuidado de sarah palin com o aviso "sem devolução";

Deixei o desafio sorver o resto de velho barreiro, pu-lo no chão e enviei-o para
outras paragens. Oxalá tenha mais sorte.

1 comentário:

Lara disse...

Adoro a ideia de mudar a cor do asfalto! Um cor que reflectisse o céu! bem belo... se calhar acordava os carrancudos matutinos.
Mas também gostei da ideia de pensar acompanhada de uma caipirinha! para mim seria caipirosca...que também fortalecia a imaginação.
:)